top of page

Quantas Calorias Gasta um Treino de Musculação

O treino de musculação é um dos tipos mais populares de exercício físico em todo o mundo. Muitas pessoas procuram a musculação não apenas para construir músculos e melhorar a força, mas também para queimar calorias e perder peso.


No entanto, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre quantas calorias são queimadas durante um treino de musculação e como essa queima se compara a outras atividades físicas.


Neste artigo, abordaremos essas questões e forneceremos informações úteis para quem deseja usar a musculação como uma ferramenta para controlar o peso e melhorar a saúde.


O treino de musculação é uma forma popular de exercício para aqueles que buscam melhorar sua saúde e aparência física. No entanto, muitas vezes nos perguntamos quantas calorias estamos queimando durante uma sessão de treinamento de musculação.


Saber quantas calorias são gastas durante o treino pode ajudar na criação de um plano alimentar equilibrado e na perda de peso, além de ajudar a medir a intensidade do treino.


Portanto, entender a quantidade de calorias queimadas durante um treino de musculação é crucial para quem quer maximizar seus resultados e alcançar seus objetivos.


Quantas Calorias Gasta um Treino de Musculação

Como as calorias são queimadas durante o treino de musculação


Explicação do metabolismo de repouso e taxa metabólica basal


O metabolismo basal é o processo de queima de calorias pelo corpo em estado de repouso, sem a realização de nenhuma atividade física ou mental. A taxa metabólica basal (TMB) é a quantidade de calorias que o corpo precisa para manter as funções básicas do organismo, como respiração, circulação sanguínea, produção de hormônios, entre outras.


A TMB é influenciada por diversos fatores, como idade, gênero, altura, peso e composição corporal. Pessoas com maior massa muscular, por exemplo, tendem a ter uma TMB mais elevada do que aquelas com menos massa muscular.


Durante o treino de musculação, o corpo continua a queimar calorias mesmo após o exercício, devido ao aumento da taxa metabólica. Isso ocorre porque o tecido muscular exige mais energia para se manter em repouso do que o tecido adiposo (gordura). Com o aumento da massa muscular através do treinamento de força, a TMB pode aumentar significativamente, resultando em um gasto calórico maior no dia a dia.


Como o exercício de musculação aumenta o gasto calórico


O exercício de musculação aumenta o gasto calórico de diversas maneiras. Primeiramente, durante o próprio treino, o corpo utiliza energia para realizar os movimentos e manter a contração muscular. Esse gasto calórico é conhecido como gasto energético durante o exercício.


Além disso, após o treino, o corpo continua a queimar calorias para recuperar e reconstruir o tecido muscular danificado durante o exercício, em um processo conhecido como EPOC (Excesso de Consumo de Oxigênio Pós-Exercício). Isso significa que o corpo continua a queimar calorias mesmo depois que o treino acabou.


Outra maneira pela qual o exercício de musculação aumenta o gasto calórico é através do aumento da massa muscular. Quanto mais músculos uma pessoa tem, maior é o gasto energético do corpo em repouso, uma vez que o tecido muscular consome mais calorias do que o tecido adiposo.

Dessa forma, o treino de musculação pode ser uma estratégia eficaz para quem busca aumentar o gasto calórico diário e, consequentemente, a perda de peso.


Papel do treino de força na queima de gordura


O treinamento de força é essencial para a perda de gordura e o aumento do gasto calórico. Isso ocorre porque o tecido muscular é metabolicamente ativo e requer energia para se manter, mesmo em repouso. Quando há um aumento na massa muscular por meio do treinamento de força, o corpo precisa de mais energia para mantê-la, aumentando assim o gasto calórico em repouso.


Além disso, o treinamento de força pode levar a um aumento na taxa metabólica de repouso (TMR), que é a quantidade de calorias que o corpo queima em repouso. A TMR aumenta com o aumento da massa muscular, bem como com o aumento da intensidade e da duração do treinamento de força. Esse aumento na TMR pode durar várias horas após o treino, resultando em um maior gasto calórico no geral.


 

VEJA TAMBÉM:

 

Outro benefício do treinamento de força na perda de gordura é que ele ajuda a preservar a massa muscular magra durante a dieta. Quando uma pessoa faz uma dieta com um déficit calórico, pode ocorrer a perda de massa muscular junto com a perda de gordura. No entanto, o treinamento de força ajuda a preservar a massa muscular magra, permitindo que a perda de gordura ocorra de forma mais eficiente.


Por fim, é importante lembrar que o treinamento de força sozinho não é suficiente para a perda de gordura. A dieta também desempenha um papel fundamental na perda de gordura e deve ser acompanhada de um déficit calórico. Além disso, o treinamento cardiovascular pode ser adicionado como um complemento ao treinamento de força para maximizar a queima de calorias e a perda de gordura.


Quantas Calorias Gasta um Treino de Musculação

Quantas calorias são queimadas durante um treino de musculação

Fatores que afetam a quantidade de calorias queimadas, como peso, intensidade e duração do treino


Existem vários fatores que afetam a quantidade de calorias queimadas durante um treino de musculação. Alguns dos principais fatores incluem o peso do indivíduo, a intensidade do treino e a duração do treino.


Em geral, quanto mais pesado o indivíduo, mais calorias ele queima durante o treino. Isso ocorre porque o corpo precisa trabalhar mais para movimentar o peso extra durante os exercícios.


Além disso, quanto mais intenso for o treino, mais calorias serão queimadas, pois o corpo precisa trabalhar mais para executar os movimentos.


A duração do treino também é um fator importante. Em geral, quanto mais tempo um indivíduo passa treinando, mais calorias ele queima.


No entanto, é importante lembrar que o corpo também precisa de descanso e recuperação, então treinar por períodos muito longos pode não ser saudável.


Outros fatores que podem afetar a quantidade de calorias queimadas durante o treino incluem a quantidade de músculos envolvidos nos exercícios e a frequência cardíaca do indivíduo durante o treino.


É importante lembrar que cada pessoa é única e pode ter resultados diferentes, então é sempre uma boa ideia consultar um profissional de saúde antes de começar qualquer novo programa de exercícios.


Média de calorias queimadas durante diferentes exercícios de musculação

A média de calorias queimadas durante os exercícios de musculação pode variar dependendo de diversos fatores, como intensidade, duração do treino, tipo de exercício e peso corporal. No entanto, é possível ter uma estimativa de gasto calórico médio por exercício.


Por exemplo, uma pessoa com peso médio de 68 kg pode queimar em média cerca de 240 calorias em uma sessão de 30 minutos de levantamento de peso moderado a intenso. Já um treino de 30 minutos de agachamento com barra pode queimar em média cerca de 223 calorias, enquanto um treino de 30 minutos de flexão de braços pode queimar em média cerca de 167 calorias.


Além disso, a adição de intervalos de alta intensidade em seu treino de musculação pode aumentar o gasto calórico total. Um estudo realizado em 2017 mostrou que a inclusão de intervalos de alta intensidade em um treino de musculação pode aumentar o gasto calórico em até 42% em comparação com um treino contínuo de intensidade moderada.


Vale lembrar que esses números são apenas uma estimativa e podem variar de pessoa para pessoa, dependendo de diversos fatores individuais. Por isso, é importante consultar um profissional de educação física para obter uma orientação mais precisa e adequada ao seu perfil e objetivos.


Como calcular as calorias queimadas durante um treino de musculação


Existem diferentes métodos para calcular as calorias queimadas durante um treino de musculação, mas um dos mais simples é usar uma calculadora de calorias online, que leva em consideração o peso corporal, o tempo de treino e a intensidade do exercício.


Além disso, é possível usar um monitor de frequência cardíaca para estimar as calorias queimadas, já que a frequência cardíaca está diretamente relacionada à quantidade de esforço físico realizado. A fórmula mais utilizada para esse cálculo é a de Katch-McArdle, que leva em consideração a taxa metabólica basal e o nível de atividade física do indivíduo.


É importante lembrar que esses cálculos são apenas estimativas e que a quantidade de calorias queimadas pode variar de acordo com a individualidade biológica de cada pessoa, além de fatores como alimentação, descanso e genética.


 

Você pode se interessar por: ⤵

 

Manter uma frequência cardíaca elevada: manter a frequência cardíaca elevada durante todo o treino de musculação é uma estratégia que pode aumentar significativamente o gasto calórico. Isso pode ser feito através de técnicas como o treinamento em circuito ou o treinamento intervalado de alta intensidade.


Combinação de exercícios: combinar exercícios de força com exercícios cardiovasculares é uma ótima maneira de aumentar o gasto calórico durante o treino de musculação. Isso pode ser feito através de circuitos que alternam exercícios de força com corrida ou bicicleta ergométrica, por exemplo.


É importante lembrar que todas essas estratégias devem ser aplicadas com cautela e sob orientação de um profissional qualificado, para evitar lesões e garantir que os objetivos de cada indivíduo sejam alcançados de forma segura e eficaz.


CONCLUSÃO


Recapitulando os principais pontos abordados neste artigo, vimos que entender a relação entre o treino de musculação e o gasto calórico é importante para quem busca queimar gordura e emagrecer de forma eficiente. Vimos que o treino de musculação não apenas ajuda a aumentar o metabolismo e o gasto calórico durante o treino, mas também pode ajudar a aumentar a taxa metabólica basal e a queima de gordura no longo prazo.


Além disso, discutimos como fatores como peso, intensidade e duração do treino podem afetar a quantidade de calorias queimadas, bem como dicas para aumentar o gasto calórico durante o treino de musculação, como aumentar a intensidade, variar os exercícios e incorporar o treinamento intervalado de alta intensidade.


Por fim, encorajamos os leitores a incorporar o treino de musculação em um plano de exercícios para maximizar a queima de calorias e atingir seus objetivos de saúde e fitness. Lembre-se de consultar um profissional de educação física ou um personal trainer para ajudá-lo a criar um programa de treino adequado às suas necessidades e objetivos.


Entender a relação entre o treino de musculação e o gasto calórico é fundamental para quem busca maximizar seus resultados na queima de gordura e perda de peso. Como vimos, o treinamento de força pode aumentar a taxa metabólica basal e, consequentemente, aumentar o gasto calórico ao longo do dia.


Para aumentar ainda mais o gasto calórico durante o treino, é importante seguir algumas dicas, como aumentar a intensidade, variar os exercícios e incorporar o treinamento intervalado de alta intensidade. Além disso, combinar o treino de musculação com exercícios cardiovasculares pode ser uma estratégia eficaz para maximizar a queima de calorias.


Esperamos que este artigo tenha sido útil para você entender a importância de saber quantas calorias são gastas durante um treino de musculação e como isso pode afetar seus resultados. Se você tiver dúvidas ou sugestões, não hesite em compartilhar conosco nos comentários abaixo.


Por fim, se você gostou deste artigo e acredita que pode ser útil para outras pessoas, não deixe de compartilhar em suas redes sociais e com seus amigos. Assim, mais pessoas poderão entender a importância do treino de musculação na queima de calorias.



 

VEJA TAMBÉM:

 

Referências:

  1. Schoenfeld, B. J. (2010). The mechanisms of muscle hypertrophy and their application to resistance training. Journal of strength and conditioning research, 24(10), 2857-2872.

  2. Tremblay, A., Simoneau, J. A., & Bouchard, C. (1994). Impact of exercise intensity on body fatness and skeletal muscle metabolism. Metabolism, 43(7), 814-818.

  3. American Council on Exercise. (2010). ACE Personal Trainer Manual: The Ultimate Resource for Fitness Professionals.

  4. Kravitz, L. (2001). The role of exercise in weight loss. ACSM's Health & Fitness Journal, 5(5), 14-18.

  5. Miller, T. A., & Foster-Schubert, K. E. (2012). Body composition changes associated with fasted versus non-fasted aerobic exercise. Journal of the International Society of Sports Nutrition, 9(1), 1-8.


bottom of page